HEDYNHO

Cuidados no Transito

Cuidados no Transito

cuidado no transito Como andar no transito

Bicicleta é meio de transporte, além de ferramenta de lazer. Deve respeitar as leis de transito como qualquer cidadão.

Temos a facilidade e liberdade para andar em “qualquer lugar”, mas isso gera retornos. Quando queremos respeito, devemos dar o respeito.

Jamais devemos andar sobre a calçada, andar sem iluminação a noite, sem equipamentos de segurança como capacetes.

Vamos evitar andar na contramão, mas caso seja necessário, como as vezes fazemos, vamos devagar e bem no cantinho, estamos errados, então nada de reclamar dos carros ou pedestres.

Se estiver no sentido dos carros, estamos corretos, mas devemos pedalar no canto da pista, ocupando meia faixa ou no máximo 1 faixa quando for pista com 2 faixas.

Galera, se estiver em grupo, atravessem todos juntos nos cruzamentos, nada de ir metade e outra metade ficar, isso torna perigoso aos 2 grupos, principalmente aos que ja atravessaram. Quando estamos no lado da pista, pedalando em grupo, devemos nos manter próximos uns dos outros, pois a menor brecha que permitimos entre nós e os da frente, faz com que alguém queira cruzar com o carro ou moto entre o grupo para entrar em algum local, e isso pode terminar em acidente.

E sempre que for pedalar sozinho, seja visto. Não ande no meio da rua nem na contramão, muito menos encostado do meio fio/sarjeta. Devemos andar no lado direito da faixa, com uma distância pouco maior que meia bike do meio fio. Isto serve para que ao ser fechado por um veículo, você tenha espaço para desviar, sem ser jogado para a calçada, além de dificultar a ultrapassagem. Ah, mas temos que dar o respeito - sim, mas ao ficar levemente pro lado, o motorista vai perceber você e desviar para ultrapassar (conforme o CTB os veículos devem manter distância lateral mínima de 1,5 metro ao ultrapassar ciclistas).

Principal de tudo, agradeça aos motoristas. Àqueles que reclamarem de estar atrapalhando, questionem se gostariam que ao invés de 30 bikes, em 20 metros, gostariam que fossem 30 carros em 150 metros, no mínimo.

Falta aos motoristas, lembrarem-se que ao deixar o carro no estacionamento, tornam-se pedestres e que seus filhos um dia também estarão sobre bicicletas.

Respeito a vida sobre tudo.

Muitas vezes as pessoas evitam o uso de sapatilhas por medo. Quando fazem o uso, usam apenas como uma firmeza pra pedalar. Um controle a mais da bicicleta. Essa é uma das funções e vantagens de se utilizar os tais “pedais clip”. Quando se inicia o uso da sapatilha, primeiramente você deve procurar alguém que saiba fazer o ajuste dela, pra evitar futuras lesões no joelho. Há marcas, como Specialized, que fabricam a sapatilha ja pensando nessas lesões comuns à ciclistas, de forma que elas “compensam” o movimento errado. Ainda há palmilhas e calços da Specialized para se corrigir a pisada e melhorar a pedalada.

O movimento de pedalar, não é somente o empurrar os pedais pra baixo com força. As pernas, devem agir independente umas das outras, de modo que acabam auxiliando e diminuindo a força necessária para empurrar o pedal. Mas como isso? Bom, se você tirar um dos pés do pedal, o outro precisará “puxar” o pedal pra cima para manter o ciclo. É esse o movimento que deve ser constante.  

Movimento dos pés durante o ciclo                                

Ciclistas mais experientes, as vezes brincam dizendo que fulano esta pedalando quadrado. Acontece quando não se faz o movimento de puxar o pedal, acabamos balançando o tronco, como se estivesse com a roda quadrada. Pedalar requer somente movimento das pernas. Para aproveitar melhor o movimento, os joelhos devem permancer numa linha perpendicular à ponta dos pés, fazendo uma linha vertical durante todo o ciclo. Os pés, empurram e puxam os pedais. Quando um empurra (movimento natural para nós) o outro deve puxar, aliviando a força da outra perna e utilizando melhor a musculatura da perna.

Esse ciclo, é simples, porém mesmo os profissionais, durante todo o inicio de temporada nos treinos de força, corrigem esse movimento para manter o sincronismo da pedalada.

Para quem está iniciando o uso da sapatilha ou ainda não iniciou por medo, para destravar os pés é simples, basta uma torção do calcanhar para fora. Em nossa loja, sempre aconselho quem está começando a treinar o movimento de encaixar e soltar os pés em casa. Você põe sua bicicleta num corredor, monta nela e encaixa os pés (sem olhar para o pedal, é importante sentir o ponto do taco e do pedal) e tenta se equilibrar (desenvolve o equilibrio também), no momento que perceber que está caindo, solte o pé. Sem medo, pois por estar no corredor, encostarás com o ombro na parede, sem cair.

Agora é montar na bike, sair pra pedalar e concentrar no “puxa e empurra”. Ah, como empurrar é natural, concentre em puxar o pedal. Com o tempo isso fica automático, facilitando muito as subidas, principalmente em terrenos escorregadios.

 Abraços

Fonte:dellabikes.com.br

 

   HEDYNHO  TOPO